top of page

Marry my husband: Novo drama da Prime vídeo aborda violência contra a mulher

A série coreana estreou no início de janeiro e trouxe temas para serem debatidos.


(Internet)


O dorama "Marry my husband", produzido pela TVN e disponível na Prime Vídeo, conta a história de Kang Ji Won, uma paciente com câncer terminal, que é morta pelo marido e a melhor amiga depois de descobrir a traição dos dois. Ela acorda dez anos antes do ocorrido e decide se vingar com a ajuda de Yu Ji Hyuk, diretor na empresa onde trabalha. Agora ela precisa retomar o controle de seu destino e eliminar o lixo de sua vida.


Para a grande maioria, é apenas mais um drama de vingança com enredo empolgante, mas, no decorrer dos 6 episódios já lançados, há um tema muito importantes e atuaal sendo tratado como subtrama: a violência contra a mulher.


(Internet)


Ji-won é uma protagonista forte, que foi enganada por seu marido e sua melhor amiga durante anos. Nos primeiros episódios, tivemos um vislumbre de como era sua vida de casada, desde o casamento até sua morte. Por mais que sejam cenas, e claro, tenham licença poética, elas retratam a realidade de muitas mulheres que se dedicam inteiramente a um casamento, a sua vida familiar, sustentam a casa enquanto os maridos não trabalham e ainda são agressivos quando a mulher lhe pede algo.


Em poucas cenas, conseguimos ver como o personagem Park Min-hwan, marido da protagonista, é violento! Ele ergue a voz, a humilha, usa palavras de baixo calão e ainda a culpa pelos fracassos em sua vida.


Quando tudo culmina na morte da protagonista, ninguém fica surpreso, e não apenas por já estar na sinopse, mas sim porque é o único fim possível para eles.


Depois que Ji-won volta no tempo, afinal ainda é uma série, ela decide se vingar, mas ainda é possível ver o trauma que ele causou nela e como isso a prejudica na relação com outros homens e na sua própria autoestima.


No episódio 6, ele fala que ela não deve usar maquiagem, que não deve se arrumar e ainda a segura fortemente pelo pulso, mesmo quando ela pede que a solte.


Mas isso é considerado violência contra a mulher?

Segundo o Conselho Nacional de Justiça, existem 5 formas de violência:


I – a violência física, entendida como qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal;


II – a violência psicológica, entendida como qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação;


III – a violência sexual, entendida como qualquer conduta que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivo ou que a force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante coação, chantagem, suborno ou manipulação; ou que limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos;


IV – a violência patrimonial, entendida como qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades;


V – a violência moral, entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria.


(Internet)


Então sim, Park Min-hwan é um agressor. E por que esse tema é tão importante em uma série, que de certo modo, é só entretenimento?


Quando falamos de séries e filmes, que gostamos e indicamos principalmente, na maioria das vezes nos identificamos com algumas situações ou personagens, talvez pela personalidade ou pelas escolhas, mas algo sempre nos aproxima da trama.


Em Marry my husband, você pode aprender a reconhecer a violência contra a mulher que outra pessoa possa estar sofrendo ou que até você possa vir a viver.


Entender que a culpa não é sua é o mais importante, além de saber que não está sozinha!

Em briga de marido e mulher se mete a colher sim!

Não devemos ter medo de denunciar.


Pode ser apenas uma série baseada em uma Webtoon, mas ela tem muitas camadas que podem servir de alerta para várias pessoas!


A série é muito bem produzida, com atores incríveis e episódios que são lançados todas as segundas e terças na prime vídeo e na Coreia do Sul simultaneamente. O enredo pode conter gatilhos, então assista com cuidado! Mas vale muito a pena e mostra que o cinema e produções audiovisuais, são muito mais que entretenimento. Afinal, podem existir várias Ji-won's por aí e infelizmente não se pode voltar no tempo após perder a vida!


Denuncie! Ligue 181!

8 visualizações0 comentário
Post: Blog2_Post
bottom of page